Até tu, Temer?!

  • Por:Ibsen Costa Manso
  • 0 Comment

A carta constrange ministros peemedebistas que decidiram permanecer em seus cargos após a demissão de Eliseu Padilha da Aviação Civil.”

O episódio da carta enviada pelo vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB-SP), está recheado de significado político. Em suma:

1)  propositalmente, o recado foi dado por escrito, como que “um documento a entrar para a história”, para não dar espaço ao diz-que-me-disse que vinha ocorrendo nos últimos dias, na divulgação das conversas pretensamente havidas entre a presidente e o vice a respeito do impeachment;

2)  explicita o rompimento pessoal e de seu grupo (que tem à frente quatro mosqueteiros, a saber, Eliseu Padilha, Geddel Vieira, Romero Jucá e Moreira Franco) com Dilma e o governo do PT;

3) tem por objetivo demonstrar que não havia outro caminho, dado o isolamento, o papel figurativo e a desconfiança que reinaram em relação a ele e seu partido desde o primeiro mandato;

4)  coloca-o no papel de vítima desse processo, contrapondo-se à estratégia de setores  governistas de impor a ele a pecha de vilão e conspirador dissimulado;

5)   traça um perfil de estadista, que dialoga com a sociedade e até mesmo com a oposição, demonstrando ciência de seus deveres institucionais como vice, capacidade e preparo para assumir a presidência caso Dilma venha a ser abatida pelo impeachment.

O que é preciso observar nos próximos dias é não apenas que efeito o petardo provocará no governo (e se Dilma reagirá politicamente ou com o fígado, como costuma fazer), mas também, e principalmente, no próprio PMDB.

A carta constrange ministros peemedebistas que decidiram permanecer em seus cargos após a demissão de Eliseu Padilha da Aviação Civil.

Em outra frente, será a oportunidade de verificar a real força do grupo adversário de Temer no partido. Por exemplo, a do atual líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani, e do governador Luiz Fernando Pezão, ambos do PMDB do Rio de Janeiro.

Picciani tem papel central na comissão que vai avaliar e elaborar parecer sobre o pedido de impeachment de Dilma, que posteriormente deverá ser votado pelo plenário da Câmara. O PMDB tem 67, dos cerca de 250 deputados considerados da base aliada ao governo na Casa.

Mais uma vez deverá ser o fiel (ou infiel) da balança. A conferir.

I.C.M

P.S. – a fotografia que ilustra esta nota é de autoria do premiadíssimo fotógrafo Wilton Junior/AE. O flagrante, original e simbólico, foi feito durante a cerimônia de entrega de espadins a cadetes na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende (RJ), em agosto de 2011. Os direitos desta publicação foram devidamente pagos. Pirataria é crime!

(Publicado originalmente no LinkedIn)

Postado em: Política, Posts

Comentários

Sem respostas para “Até tu, Temer?!”

Sem comentários por enquanto.

Deixe uma resposta